11/08/2011

Metas para tomar conta da minha vida

Google imagens

A partir do momento que você se descobre grávida você sabe que nada mais será como antes. Aquela coisa piquitica que você tanto desejou vai crescendo dentro de você e aí você percebe que não controla o seu corpo, que ele tem vontade própria e não adianta tentar remar contra a maré, sua consciência vai sempre te convencer que aquilo é melhor para o bebê. Você passa mal e não há nada que a faça melhorar, com sorte, após 3 meses, a sensação de ressaca vai embora. Eu, Graças ao meu bom Deus, não sofri desse mal, em compensação, minha bebê se apossou de mim durante nove meses e eu me tornei uma pessoa irreconhecível, só queria chorar e dormir, cheguei até a comentar aqui que eu tive depressão pré-parto, se é que isso existe, depois, descobri com meu obstetra que isso existe sim, tomei umas bolinhas e tudo ficou melhor.

Mais aí seu rebentinho mais charmoso, mais fofo, nasce, e é aí que então você percebe que sua vida nunca mais será igual. Dormir é luxo. Tomar banho é a coisa mais gostosa e desejada do mundo. O bebê vai crescendo, as coisas vão se encaixando e você vai vivendo. Você volta a trabalhar e o caos se instala na sua vida, é a maldita dupla-tripla-quádrupla jornada da mulher maravilha moderna (quem mandou queimarem sutiãs em meu nome? Mas isso não vem ao caso).

Bom, sei que minha pequena está a ponto de completar um ano e eu ainda não tomei as rédeas da minha vida, como eu gostaria. Por isso, resolvi escrever aqui a minha lista de desejos, que pretendo conquistar em breve:

1) eliminar os quilos que se instalaram em mim. Boa parte se foi com a amamentação, outra parte recuperei quando deixei de amamentar exclusivamente (toma vergonha na cara mulher), mas agora chega! Basta!

2) voltar a correr. Preciso, necessito de endorfina a circular nas minhas veias. E outra, correndo vou poder atingir mais rápido a meta nº 1. Só preciso arranjar tempo. Se alguém souber como fazer igual ao Unibanco e ter 30 horas, me fala tá. Até me inscrevi numa corrida, em setembro, mas meu treino ultimamente tem sido subir escadas, será que ajuda?

3) fazer as unhas, ir ao cabelereiro, depilação, tomar cerveja com as amigas e sair pra dançar com maior frequência. Não é que eu esteja uma ogra peluda, descabelada com as unhas a la zé do caixão, sem sair de casa com meu uniforme de camiseta de eleição (aff). Só quero poder fazer isso mais vezes e não sair do cabelereiro com as madeixas molhadas, pois tem uma bebê faminta esperando a teta pra mamar. (coisa de mãe louca, eu sei. Ela já não precisa tanto das minhas tetas assim...)

4) ah, dormir... dormir... sem ter hora pra acordar. Tá, esse risca da lista, pois acho improvável pelos próximos 18 anos.

5) me tornar uma boa dona de casa. Eu sei que esse não tem nada a ver com a chegada da bebê, mas vamos lá, não custa pedir né? Ter vontade de fazer aquela comidinha gostosa quando chega do trabalho, manter a casa limpa e organizada e ganhar uma varinha mágica que faça tudo isso quando eu mandar. 

6) saber organizar meu tempo. Porque toda vez que marco um compromisso em que tenho que levar a bebê, nunca consigo cumprir com o horário e isso me irrita. 

Acho que por hoje é só!

Um comentário:

  1. Oi Ana logo mais você volta a 100% aproveita a Malu =)

    Beijos

    ResponderExcluir